Conseguir adormecer pode ser uma tarefa difícil, principalmente em tempos stressantes como os que vivemos por causa da pandemia.

As causas das insónias são variadas, e as soluções também. No entanto, muitas destas soluções que o Google nos dá são difíceis de incluir no nosso dia-a-dia, como a prática de exercício físico ou tentar reduzir o stress ao máximo.

Recentemente, muitos estudos sugerem ouvir música para adormecer mais eficientemente. Como é que isto acontece? Ter “barulho” de fundo enquanto adormece ajuda a distrair a mente dos pensamentos ansiosos que são uma das causas mais frequentes das insónias.

Mas… que músicas é que deve ouvir então? Provavelmente está a antecipar uma playlist de música calma e clássica, contudo, e curiosamente, as músicas que lhe apresentamos hoje são aquelas que provavelmente já ouviu na rádio na viagem para o trabalho de manhã!

Imprevistamente, todas as músicas da nossa lista ficam entre os 80 e os 115 bpm (beats per minute), que são semelhantes à frequência cardíaca de uma pessoa em repouso (60 – 100 bpm). As músicas que deve adicionar agora à sua playlist do Spotify para ouvir logo à noite são:

  1. Someone You Loved – Lewis Capaldi – 110 bpm
  2. Heather – Conan Gray – 102 bpm
  3. All I Want – Kodaline – 86 bpm
  4. Before You Go – Lewis Capaldi – 112 bpm
  5. Dynamite – BTS – 115 bpm

Esta lista é baseada no estudo da Premier Inn, que criou uma playlist no Spotify com as 50 melhores músicas populares para adormecer.

Já experimentou ouvir música e concluiu que não resulta? Leia o nosso Blog e descubra outras maneiras de superar as insónias e conseguir adormecer mais facilmente todas as noites.

Claramente que juntar produtos ZZZ às melhores músicas para adormecer é a receita para o sucesso. Por isso, se quer qualidade máxima de sono, alie um bom colchão, uma boa almofada e bons rituais. O resultado será não só uma boa noite, mas também uma boa manhã!

Quando falamos do nosso Colchão Mornin’ Sunshine e outros produtos ZZZ, referimos o termo “tecnologia Coolgraph®”. Este termo técnico pode parecer algo complexo, mas é, na verdade, algo bastante simples: a tecnologia Coolgraph® tem como objetivo dissipar o calor.

Existe uma ideia típica de que colchões de espuma tendem a reter o calor, tornando-os menos cómodos, principalmente nos meses quentes. No entanto, a tecnologia Coolgraph®, que pode ser aplicada tanto na cama como, por exemplo, no assento do carro, veio desmitificar a ideia de que colchões de espuma são quentes.

Então, o que é afinal a Coolgraph®? É a tecnologia que integra partículas de grafeno na estrutura celular da espuma para dissipar o calor.

E o que é o grafeno? É uma das formas cristalinas do carbono, que, quando é de alta qualidade, é um ótimo condutor de calor.

Algumas vantagens do uso desta tecnologia são:
  • 95% de melhoria na circulação do ar, comparando com espumas viscoelásticas tradicionais
  • 10 000 vezes mais eficiente na dissipação de calor do que espumas viscoelásticas tradicionais
  • Demora apenas 30 segundos para que a temperatura da espuma baixe 10ºC
Como funciona a tecnologia Coolgraph®?

Ao comprimir uma espuma com Coolgraph®, as partículas de grafeno absorvem calor, transmitindo-o entre si pela sua proximidade. Para além disso, as espumas com Coolgraph® têm célula aberta, o que cria espaço para o calor se dissipar rapidamente, criando também uma elevada capacidade de alívio da pressão.

Ficou curioso? Continua cético sobre os colchões de espuma? Poderá experimentar o nosso Colchão Mornin’ Sunshine sem compromisso durante 100 dias, e, consequentemente, usufruir das vantagens da inovadora tecnologia Coolgraph®.

A meditação teve um crescimento de popularidade exponencial nas últimas décadas, e muitos associam-na à cura das suas más noites de sono.

Esta prática existe há milhares de anos, e hoje é comumente utilizada como meio para reduzir o stress e a ansiedade do dia-a-dia. Como resulta? Durante o estado meditativo, a pessoa foca a sua atenção, eliminando os pensamentos desnecessários que tendem a ocupar a nossa mente e a causar stress. Este processo pode resultar num melhor bem-estar físico e emocional.

Alguns benefícios da prática de meditação incluem:

  • Redução do stress
  • Controlo da ansiedade
  • Promoção da saúde emocional
  • Melhoria da capacidade de atenção
  • Pode reduzir a perda de memória associada com a idade
  • Melhoria do sono
  • Entre muitos outros

Como é que sabemos quando precisamos de meditar? Visto que a meditação é vista como uma ajuda preciosa a combater o stress, sempre que se sentir sobrecarregado(a) poderá tirar 5 minutos para meditar. Também poderá começar a tornar a meditação numa prática diária, de forma a ter efeitos a longo-prazo.

Para começar a tornar a meditação numa prática frequente na sua vida, experimente seguir os 3 passos que enumeramos para tornar esta jornada mais simples.

1. Experimente 5 minutos de meditação por dia durante uma semana

Adquirir um novo hábito pode ser difícil, principalmente quando não entendemos muito bem os benefícios do mesmo, e a única motivação que temos é a sua popularidade. Até pode entender os benefícios, mas sem os experienciar por si mesmo(a) pode não ficar convencido(a). Existe uma forma óbvia de experienciar estas vantagens: experimentar este novo hábito, pelo menos uma vez.

Existem milhares de vídeos no YouTube com meditações guiadas de 5 minutos, que pode facilmente incluir no seu dia-a-dia. Pode escolher a altura que lhe for mais favorável – para muitas pessoas a preferência é logo de manhã, mal acordam – ou pode meditar em alturas de maior stress durante o dia, como antes de uma reunião ou no final de um dia cansativo.

Se fizer isto durante uma semana, é quase garantido que vai sentir pelo menos um dos benefícios enumerados em cima.

2. Escolha um lugar e hora

Designe um lugar na sua casa para a sua meditação diária e um horário específico. Para criar um hábito, um truque é aliar esse novo hábito a um hábito recorrente na sua vida. Por exemplo, se tem o hábito de todos os dias de manhã fazer a sua cama, experimente fazer a sua meditação na cama, mesmo antes de a arrumar.

No entanto, é preciso que escolha um sítio onde não será interrompido(a) e, de preferência, silencioso.

3. Sem pressão

Não se coloque sob pressão. A meditação é uma prática e não uma corrida. Se não vir benefícios desta prática no dia-a-dia, ou se não se conseguir concentrar no momento, experimente durante mais algum tempo. Meditação é exercício para a mente, e, tal como as outras formas de exercício, tem que ser praticado para se tornar mais simples.

Resumindo, para começar a meditar eficientemente deverá seguir 3 princípios: seguir meditações guiadas curtas durante uma semana; definir um lugar e um horário para a prática; e não colocar pressão sobre si mesmo(a).

E se nada der certo? Talvez não seja a altura para incluir esta prática na sua vida, ou talvez esteja com a mentalidade incorreta. Experimente daqui a umas semanas ou meses e tire conclusões.

Fica aqui o desafio da ZZZ para começar a incluir a prática da meditação no seu dia-a-dia. Porque para além de uma boa noite de sono, o truque para uma boa manhã pode ser também 5 minutos de meditação.

Dormir juntos é a preferência da maioria dos casais nos dias que correm. Ouvimos falar em muitos benefícios que dormir acompanhado pode trazer. Mas serão estes benefícios que rondam a internet assim tão verídicos? Ou serão mais alguns dos muitos mitos com que somos bombardeados no dia-a-dia?

Dormir na mesma cama que a sua cara-metade é um hábito algo recente, que se desenvolveu mais por necessidade do que por romantismo. Com a chegada da Revolução Industrial, no século XVIII, os centros urbanos começaram a ficar sobrelotados e os espaços para viver mais pequenos. Isto fez com que os casais começassem a dormir no mesmo quarto, e, consequentemente, na mesma cama.

Deixamos então 6 pontos que podem ajudar a definir se os benefícios de dormir acompanhado são verdade ou mito:

1. Diminui os níveis de stress – verdade

Dormir acompanhado dá uma sensação de segurança e confiança, algo que faz diminuir os níveis de cortisol – hormona relacionada com o stress. Ao sentir segurança e confiança, o seu corpo não sente necessidade de produzir tanto cortisol, que é produzido em situações de risco.

Para além disso, a proximidade física com alguém de quem gostamos aumenta a produção de serotonina, a hormona que ajuda a controlar o mau humor e a depressão.

Fonte: (https://www.noticiasaominuto.com/mundo/306839/estudo-revela-que-dormir-agarrado-a-quem-ama-faz-bem-a-saude)

2. Ajuda a combater insónias – depende

Quando um casal dorme junto todas as noites, tende a ajustar as rotinas individuais às de casal. Assim, ao criar uma rotina de sono conjunta, pode haver maior facilidade ao adormecer.

No entanto, a rotina de sono de uma das pessoas pode ser perturbada pelos hábitos do seu companheiro. Isto é, se uma das pessoas tem o hábito de se deitar às 21:00 e ler um livro durante 15 minutos até adormecer, mas o(a) companheiro prefere deitar-se às 21:00 e ficar a assistir a um filme até às 22:30, a rotina de sono da pessoa 1 irá ser atrapalhada, podendo causar insónias.

Fonte: https://www.frontiersin.org/articles/10.3389/fpsyt.2020.00583/full

3. Reduz a pressão arterial – mito

Não existe nenhum estudo que comprove que dormir acompanhado possa reduzir a pressão arterial. No entanto, esta crença vem do facto de que a pressão arterial reduz quando uma pessoa é abraçada. Ou seja, se é fã de dormir abraçado ou “em conchinha”, isso poderá ajudar a reduzir a sua pressão arterial, que é uma consequência do abrandamento do ritmo cardíaco

Por isto, na verdade, o que reduz a pressão arterial não é o facto de dormir acompanhado, mas sim os abraços a que está mais sujeito quando dorme acompanhado. Não existe uma relação direta entre a redução da pressão arterial e o facto de dormir na mesma cama que o seu companheiro.

Fonte: https://www.health.harvard.edu/newsletter_article/In_brief_Hugs_heartfelt_in_more_ways_than_one

4. Melhora o sistema imunológico – mito

Mais uma vez, não existe uma relação direta entre dormir acompanhado e a melhoria do sistema imunológico. O que os estudos revelam é que ter relações sexuais regularmente pode sim, impulsionar o seu sistema imunológico

É verdade que dormir na mesma cama que o seu parceiro pode levar a momentos íntimos, mas não é por dormir acompanhado em si que o seu sistema imunológico pode melhorar. Ter uma vida sexual ativa, isso sim, faz com que as pessoas libertem mais anticorpos, o que os torna mais saudáveis.

Fonte: https://journals.sagepub.com/doi/pdf/10.2466/pr0.94.3.839-844

5. Ajuda a regular a temperatura corporal – verdade

Quando se adormece, a temperatura corporal cai e o frio pode causar algum desconforto durante a noite. Dormir acompanhado pode regular a sua temperatura corporal, porque estará a receber calor da pessoa que dorme ao seu lado, consequentemente, mantendo o conforto.

6. A qualidade do sono aumenta – mito

Em média, um adulto tem entre 20 e 30 microdespertadores durante a noite, que são momentos em que o sono profundo é interrompido e a pessoa fica num estado de sono superficial. Situações como mudar de posição ou ranger os dentes são exemplos de microdespertadores. Quantos mais houver por noite, mais cansada a pessoa vai acordar. Logo, ao dormir acompanhada, o número de microdespertadores pode duplicar, tornando as noites de sono de pior qualidade.

Estes são apenas alguns dos ditos benefícios de dormir acompanhado. Muitos são mitos segundo a ciência, mas não significa que não possam ser verdade para si, visto que dormir acompanhado é algo subjetivo, que é diferente para todos os casais.

Por isso, se é fã de dormir “em conchinha” e gosta de receber muitos abraços, não se iniba. Caso prefira dormir sozinho ou caso prefira dormir acompanhado, a ZZZ apoia, e inclusive tem almofadas que são a companhia perfeita para as noites mais solitárias!

Fonte: https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2012/11/1187818-dormir-acompanhado-reduz-a-qualidade-do-sono-dizem-medicos.shtml

Almofada No Snooze +
Almofada No Snooze Power
Almofada No Snooze

Na ZZZ Factory, consideramos a espuma o aliado para uma boa noite de sono e, consequentemente, uma boa manhã. Falamos muito em Espuma Viscoelástica na descrição dos nossos produtos, como o Colchão Mornin’ Sunshine, mas do que se trata realmente?

A espuma viscoelástica, também conhecida como “memory foam”, foi criada em 1966 pela NASA para tornar mais segura e confortável a viagem das tripulações ao espaço.

Por ser capaz de absorver e distribuir força, a espuma viscoelástica molda-se rapidamente a qualquer formato e peso corporal, sendo considerada uma espuma inteligente e das mais confortáveis do mercado. Para além disso, volta à sua forma original sem deformação – daí o nome “memory foam”.

Ver colchão Mornin’ Sunshine

Este tipo de espuma inteligente apresenta várias vantagens. Permite manter a postura correta da coluna e contribui para melhorar a circulação sanguínea, além de ser extremamente confortável.

São habitualmente realizadas inúmeras experiências com colchões desta espuma, entre elas a do copo de água. Porquê?

– Porque independentemente da ação que exerça sobre esta espuma a reação acontecerá apenas no local onde exerce pressão, não interferindo com a restante área!

Assim, ao pousar um copo de água no colchão de espuma viscoelástica, e ao saltar para cima do colchão, o copo não vai verter, não vai cair, nem se vai mexer. Isto resulta da excelente flexibilidade da espuma.

Aliada à espuma viscoelástica, utilizamos nos nossos colchões Mornin’ Sunshine a nossa patenteada tecnologia a nível mundial:

Camada Energex

A tecnologia Energex, que permite obter uma espuma viscoelástica sem recuperação lenta, que incorpora o efeito de mola da espuma de alta resiliência.

Dependendo do calor libertado pelo corpo, esta espuma torna-se mais ou menos flexível, oferecendo assim um conforto personalizado!

Camada Coolgraph

A tecnologia Coolgraph está integrada nas partículas de grafeno da estrutura celular da espuma, que permite a dissipação do calor.

Ficou confuso?

É simples! Muitas das espumas que existem no mercado retêm o calor, o que pode causar sobreaquecimento e desconforto. Com a Coolgraph, há uma melhor circulação do ar e dissipação do calor, mantendo o conforto e uma temperatura agradável durante o sono.

Na ZZZ Factory temos um compromisso com a qualidade, por isso trabalhamos com tecnologias patenteadas a nível mundial, para provar os benefícios dos colchões de espuma viscoelástica.

Ainda tem dúvidas sobre esta espuma inteligente? Experimente os nossos produtos e teste por si só. Fale connosco!

A imagem tradicional que temos do sonâmbulo é de alguém que caminha pela casa a emitir sons, como estivesse a ressonar acordado. A realidade? O sonambulismo é, factualmente, uma doença, pertencendo à categoria das doenças do sono.

Durante um episódio, o sonâmbulo caminha de forma ordenada, pode apresentar os olhos abertos, contudo estar inconsciente, tendo, por isso, um olhar vazio. Tem um discurso incoerente, caso fale, e ao acordar não terá memória do sucedido.

Se for acordado, ou contrariado, durante o episódio, há a possibilidade de ter uma reação agressiva.

Um episódio não dura mais de 10 minutos, contudo, o verdadeiro perigo está nos acidentes que o sonâmbulo pode provocar, por exemplo, podendo cair numas escadas, ou partir objetos. Daí se aconselhar que, caso resida com uma pessoa com propensão para estes episódios, bloqueie o acesso a escadas e a objetos de valor elevado. Caso sejam episódios recorrentes considere fazer exames para o despiste da epilepsia, por exemplo.

Mas então, o que pode causar o sonambulismo? Comecemos pelo óbvio, privação de sono. A falta de hábitos saudáveis de sono podem levar a episódios, bem como consumo excessivo de álcool ou outras substâncias que afetem o sistema nervoso. Outra causa surpreendente é o excesso de exercício físico, adicionalmente a febre e a falta de magnésio podem gerar episódios.

O sonambulismo começa a manifestar-se a partir dos 5/6 anos, sendo mais comum no sexo masculino e apresentando tendências familiares. Estima-se que 10% a 20% das crianças têm, pelo menos, um episódio. A hipótese de prevalência está entre os 1% e os 5%, sendo que nos adultos a incidência está entre os 1% e os 7%.

Como evitar? Pratique uma alimentação saudável e equilibrada, continue a praticar exercício físico na medida certa. Melhore os seus hábitos de sono, durma as horas recomendadas, com a qualidade necessária. E se tiver dificuldade nesta última recomendação? Pode sempre conhecer a nossa linha de produtos aqui (LINK), e começar a ter um novo acordar, em vez de “andar a dormir.”

Nada supera a sensação de uma noite descansada, que o prenda com um acordar refrescante e sorridente. No entanto como chega até ao acordar?

O sono opera por 4 ciclos: Sono Leve 1.0; Sono Leve 2.0; Sono Profundo e a Fase REM. Iremos descobrir quais as características de cada fase do ciclo, e entender como este tem impacto na sua vida.

A primeira ideia é que uma noite de sono é composta por vários ciclos que seguem a seguinte ordem: Sono Leve 1.0 – Sono Leve 2.0 – Sono Profundo – Sono Leve 2.0 – Sono Leve 1.0 – Fase REM. No final, o ciclo repete-se, ou acordamos para mais um dia de conquista.

Comecemos pela primeira fase: Sono Leve 1.0

Assim se dá início ao ciclo, nesta fase acordamos facilmente, qualquer ruído ou mudança de luminosidade nos pode perturbar. Nesta fase já estamos de olhos fechados, e nem nos apercebemos que já estamos a dormir, sendo que os músculos ainda não estão plenamente relaxados. Apesar de ser a fase inicial podemos reparar que a nossa respiração começa a ser mais lenta.

Na segunda fase – Sono Leve 2.0

Ainda somos sensíveis a ruídos nas redondezas, por exemplo: alguém a entrar em casa, ou a caminhar pela casa, ao lado do quarto poderá acordar, assim apesar de o corpo estar mais relaxado, a mente ainda está ativa e atenta ao que está à sua volta.

A terceira fase – Sono Profundo

Já estamos em relaxamento muscular completo, e há uma sensibilidade muito reduzida a ruídos e mudanças de luminosidade.

Esta fase é particularmente importante porque é uma fase de regeneração corporal. Trata-se do momento em que o corpo recupera do desagaste da sua atividade no a dia-a-dia.

Por fim: a fase “REM”.

Mas afinal o que é o “REM”? Rapid Eye Movement, é o movimento rápido que os olhos fazem quando se inicia esta fase, adicionalmente o batimento cardíaco sobe, sendo que é nesta fase em que temos os nossos sonhos, e em que se manifesta o sonambulismo.

Para melhorar a sua experiência de sono conheça a nossa gama de produtos e tenha o seu novo acordar!

Da mesma forma que somos todos diferentes ao despertar, uns mais rabugentos, outros mais bem dispostos, somos igualmente diferentes na forma como escolhemos ocupar o espaço que o nosso colchão oferece.

De lado, de costas, ou talvez de barriga para baixo, todos temos a nossa favorita, a que nos dá maior conforto. Mas será que tudo se deve à posição, e ao colchão?

Qual o papel da almofada no meio disto?

Numa palavra: Subvalorizado.

Dormir de costas

Comecemos por que dorme de costas, uma posição tendencialmente preferida por pessoas que desejam prevenir ou mitigar a dor da ciática ou foram alvo de uma operação às costas.

Se dorme de costas, o tipo de almofada que escolhe é essencial. Opte por uma almofada mais fina, possivelmente com apoio cervical, como a nossa No Snooze +. Experimente colocar uma ou duas almofadas debaixo dos joelhos para aliviar a pressão nas suas costas, vai ver que faz diferença.

Dormir de lado

Para quem dorme de lado, uma posição que gera dor de ombros, e desagaste adicional na coluna, ao contrário de que dorme de costas, é necessário um apoio mais substancial. Assim a almofada certa tem de ser um pouco mais grossa, mais na linha da nossa No Snooze, que pode encontrar aqui, para proteger o alinhamento da sua coluna, coloque uma almofada entre os joelhos!

Dormir de barriga para baixo

Por fim, dormir de barriga para baixo, a posição menos recomendada devido à posição do pescoço, sendo a mais propensa a gerar lesões e desconforto. Se dorme nesta posição, primeiro considere experimentar outras, caso não se habitue, experimente colocar uma almofada debaixo da sua pélvis, de forma a atenuar potenciais desvios da coluna.

Opte por uma almofada bastante fina, como a nossa No Snooze Power, para afastar os torcicolos e “jeitos” que poderá sentir pela manhã.

Escolher a almofada certa, dependendo da posição em que dorme, pode ser uma melhoria da qualidade de sono, e como a vida começa depois de acordar, uma melhoria na sua qualidade de vida!

Descubra de que outras formas podemos melhorar o seu acordar com a nossa linha de produtos!

Pelo meio dos nossos esforços de prevenção e proteção da nossa saúde, desde uma alimentação saudável, à prática de exercício físico, costumamos negligenciar o efeito que os bons hábitos de sono têm nas nossas defesas.

Numa altura em que sentimos a necessidade de nos defender, de forma mais vincada, dormir bem poderá muito bem ser a solução mais improvável para manter o seu sistema imunitário bem alerta.

– “E provas?” – Conseguimos ouvi-lo pensar…

Bom, a Universidade de Tübingen, na Alemanha, e a Universidade de Texas, nos E.U.A. apresentam estudos onde associam a qualidade do sono a eficiência do sistema imunitário, sobretudo devido às células T. O efeito é simples: quão piores forem os hábitos, e a qualidade do seu sono, pior será a capacidade do corpo responder a constipações, gripes e infeções bacterianas.

– “Eu espero pela vacina contra o COVID-19… Aí o problema está resolvido…” – Ouvimo-lo pensar…

A realidade abona a favor da qualidade do sono, veja-se que o Dr. John Park, pneumologista da Clínica Mayo sublinha que existe uma relação entre a eficácia da imunização e uma boa noite de sono.

Por isso acreditamos que a melhor forma de se proteger, além de seguir as recomendações das Autoridades de Saúde Pública, e adotar comportamentos responsáveis, é a prática de ótimos hábitos de sono.

Quem diria que poderia melhorar as suas defesas, enquanto dorme?

Consulte o nosso site! Pode ser que uma almofada nova seja exatamente o que precisa para que o seu acordar passe de bom, a excelente!

Desde que a COVID-19 mudou as nossas rotinas e encolheu o nosso mundo à nossa casa é natural que a dificuldade em dormir se vá instalando, naturalmente provocada pelo stress da situação, bem como a ansiedade de voltarmos a algo que se assemelhe à “normalidade” do nosso quotidiano.

Antes de trocarmos as filas de trânsito, e a espera pelos transportes públicos, pelos engarrafamentos de fazer o pequeno almoço e o espaço ideal na mesa para fazer as reuniões de teletrabalho, a insónia abatia-se sobre cerca de 28% da população portuguesa acima dos 18 anos. Um número que hoje será, certamente, maior.

Por isso, como a vida começa depois de acordar, o que fazer quando o sono nunca mais chega, é intermitente ou simplesmente acaba cedo demais?

Deixamos 4 dicas para que reconquistar o seu acordar, e depois, quiçá, o mundo:

1 – Vamos lá mexer-nos!

Estamos em casa? Certo! Mesmo em quarentena procure fazer exercício físico 5 a 6 horas antes da sua hora habitual de sono. Além da boa forma, e ser um ótimo exercício de criatividade – quem diria que os packs de 6 pacotes de leite dariam ótimos halteres? – Consegue queimar a energia “extra” que vai acumulando!

2 – Rotina é chata… Não para o seu sono!

Todos adoramos quebrar a rotina, perseguir algo diferente. Bom… O seu sono não. Por isso chegou a hora de se implementar rotina e disciplina nas noites, para que as suas manhãs sejam surpreendentes!

Habitue o seu corpo a deitar-se a uma certa hora, e mantenha esse hábito com rigor.

Melhore os seus ciclos de sono!

3 – Cafézinho no pós-jantar? Nem pensar!

Parece óbvio dizer para evitar cafeína, se sofre de insónias, contudo é dos poucos hábitos que podemos manter em casa que simulam uma saída. No entanto repetimos o aviso: Cafeína? Não. Troque por um chá, de preferência algo relaxante que ajude no momento de visitar o vale dos lençóis e encostar a cabeça à sua confortável No Snooze.

4 – Aqui é onde a magia acontece…

O seu quarto. O refúgio para o santo descanso, mas passando a uma pergunta – O seu quarto está preparado para o melhor sono possível?

Comecemos pela iluminação: evite dormir num quarto iluminado, procure dormir sem luzes ligadas que perturbem a qualidade da sua noite – talvez esteja na hora de perder o medo do escuro?

Passemos ao som. A palavra de ordem é: Silêncio. Coloque o telemóvel em silêncio, modo avião, ou desligue mesmo. Durma sem televisões ligadas, e se for esquecido, a função de temporizador ajuda!

Certifique-se que não tem mosquitos ou moscas no quarto, nada é pior que aquele zumbido nos ouvidos que o acorda, e nós conhecemos um colchão e edredão que conseguem afastar esses convidados indesejados!

Por fim chegamos à temperatura, procure que o seu quarto tenha uma temperatura amena e confortável. Caso queira uma almofada que se mantém fresca, e que repele os mosquitos, pode sempre conhecer as nossas almofadas aqui.

Com estas dicas esperamos que durma melhor durante a quarentena, e que melhore um pouquinho a sua qualidade de sono, e de vida.

O ingrediente final é manter-se positivo e responsável. Não dê tréguas ao COVID-19, e em breve voltaremos a estar juntos!